Mais de 8.500 canais do Telegram foram bloqueados no mês de outubro

0

De acordo com Pavel Durov, o aplicativo de mensagens Telegram Messenger bloqueou mais de 8.500 neste mês de outubro, devido a conteúdos relacionados ao terrorismo e incitação à violência.Em publicação feita neste domingo, 29/10, em seu canal oficial, Durov afirmou que já deixou bem claro que o Telegram defende a liberdade de expressão, mas existe um limite que não deve ser ultrapassado. Leia na íntegra a declaração do CEO da empresa:

Vocês sabem que o Telegram tem os seus valores quando se trata de privacidade. Outro direito humano pelo qual somos apaixonados, é a liberdade de expressão. Em alguns países, o Telegram é a única plataforma popular para fontes de informações independentes. Veja no Irã, por exemplo, onde a BBC está bloqueada, mas o seu canal @bbcpersian está ativo há anos e já atraiu quase um milhão de seguidores. Existem milhares de grandes canais no Telegram que criticam seus governos. O Telegram nunca cedeu à pressão de funcionários que queriam que fizéssemos censura política. A liberdade de expressão é um dos valores que defendemos nos últimos 11 anos, primeiro na Rússia e, depois, globalmente.

Claro, existem regras que os administradores de canais de Telegram devem respeitar, por exemplo, os termos do Telegram proíbem a promoção pública da violência sob qualquer forma. É por isso que, apenas em outubro, bloqueamos mais de 8.500 canais relacionados ao terrorismo (mais estatísticas em @isiswatch).

Outro exemplo recente de uma linha não se deve cruzar, é um canal iraniano que começou a incentivar seus membros a lançarem pedras nas janelas de edifícios públicos e veículos (escolas, templos, ônibus) e gravar a ação. Entramos em contato com os administradores do canal e pedimos que eles parassem este concurso de vandalismo; Eles não apenas nos ignoraram, como lançaram outra competição bizarra, incitando seus mais de 100 mil seguidores a queimarem mesquitas, lançando coquetéis Molotov e filmar o ato. Como resultado, ficamos sem outras opções, a não ser bloquear o canal.

Para nós, a linha é bem clara. Criticar as autoridades locais, desafiar o “status quo” e se envolver no debate político, tudo bem. No entanto, promover a violência e apelar para ações que possam prejudicar pessoas inocentes não está certo. Esta é uma regra geral, que sempre iremos aplicar enquanto moderarmos canais públicos.”

O Telegram já foi pressionado por entidades governamentais da Russia a abrir suas chaves de criptografia. As autoridades acusam o serviço de ser sido utilizado por terroristas durante ataques como o do metrô de São Petersburgo, em Abril. Durov, no entanto, acredita que comprometer a privacidade do aplicativo não é uma solução para reduzir o risco de ataques terroristas, pois no último ataques em Paris, por exemplo, os terroristas utilizaram telefones para fazer chamadas e trocar mensagens SMS.

Save

Save

Save

Sobre o Autor

Estudante de Administração, editor do site devocionais.org, colaborador do portaltelezap.com.br e administrador dos canais @aprendendoingles e @telezap no Telegram.

Deixe Um Comentário